Robbie Williams encantou no Rock in Rio 2014

“O concerto estava previsto para as 22h e eram precisamente 22h quando o nome mais antecipado deste primeiro dia de Rock in Rio subiu ao palco – a organização indica que 44% dos visitantes de hoje veio propositadamente para ver o músico inglês.

 Robbie Williams trouxe ao Parque da Bela Vista a sua décima tour, inspirada no álbum Swing Both Ways, e que arrancou a 25 de Abril, em Budapeste, tendo passado por cidades como Viena, Amesterdão, Oslo e Hamburgo, até chegar a Lisboa. Mas o alinhamento que aqui foi apresentado foi bastante diferente de outros concertos desta tour, não se centrando neste último álbum, passando antes por temas mais antigos e por inúmeros covers.

Numa noite em que o frio apertou e com um recinto muito composto, mas longe da enchente que se aguarda para o dia de Rolling Stones, o Mr. Entertainment subiu ao palco acompanhado por uma banda com trejeitos de orquestra e vestido a preceito, com um casaco abas de grilo e uma batuta que mais o fazia parecer um maestro do que o ex enfant terrible daboysband Take That.

O concerto arrancou com ‘Let me Entertain You’, seguindo-se ‘Let Love be Your Energy’. Mas foi com a sequência ‘We Will Rock You’, ‘Rock DJ’  e ‘Come Undone’ que conquistou a plateia. “Portugal can you hear me? Are you with me?”, disse.

Depois do rock chegou o swing e o soul, primeiro com uma homenagem a Nova Iorque, com os temas ‘Empire State of Mind’, de Alicia Keys e ‘New York, New York’, de Sinatra; depois com clássicos como ‘Hit the Road Jack’, de Ray Charles e ‘Reet Petite’, de Little Richard, cantados em jeito de medley.

Quando na plateia já se questionava se não cantaria mais temas seus, Robbie Williams ainda surpreende ao interpretar U2 e Oasis, para então partir para uma recta final avassaladora, com dois dos seus maiores sucessos, ‘Feel’ e ‘Angels’. Ao despedir-se ainda questionou a plateia sobre quem venceria o Mundial de Futebol – ouvindo um uníssono “Portugal!”; e prometeu que ia tentar não voltar a engordar, mas que o problema era gostar muito de chocolate.

Aos 40 anos, Robbie Williams já está longe do jovem rebelde que se tornou conhecido nos Take That. Mais maduro e confiante, domina o palco com mestria e justifica o título de Mr. Entertainment. Seja a interpretar os seus temas, seja a apoderar-se dos temas de outros músicos, Robbie Williams foi um maestro de luxo.”

Texto originalmente publicado no Jornal Sol.

Comentar o artigo

O nosso conteúdo é gratuito!

Disponibilizamos o nosso conteúdo gratuitamente, considere desativar o seu adblocker.

Refresh