Tudo o que precisas de saber sobre candidaturas ao ensino superior

Se desejas ingressar no ensino superior, nós sabemos que pode ser complicado gerir toda a informação que te é transmitida de uma só vez, que nem bombas, deixando-te um pouco “à nora”. Assim, reunimos aqui toda a explicação necessária que qualquer aluno que acabou o secundário precisa para se candidatar ao ensino superior.

Assim, reunimos aqui tudo aquilo que qualquer aluno que acabou o secundário precisa de saber para se candidatar ao ensino superior.

Encontra aqui tudo o que terás de fazer para realizar a tua candidatura, passo por passo.

Escolha do curso e instituição de ensino

Em primeiro lugar, terás que realizar uma pesquisa sobre quais os cursos disponíveis e que instituição de ensino desejarias frequentar.

É possível escolheres 6 pares que combinam curso/ instituição e aconselhamos que o faças, uma vez que assim tens mais possibilidades de conseguir uma vaga no ano em que pretendes candidatar-te. É importante que estes pares de curso/ instituição sejam colocados por ordem decrescente de preferência, começando com aquele que preferes e decrescendo até ao curso/ instituição que preferes menos.

Para além disso é importante que quando realizas a tua pesquisa, não te esqueças de ver qual a média do último aluno colocado nos últimos anos. Se tens uma média de 15, por exemplo, não deves arriscar e apenas concorrer para cursos em que a média do último colocado foi de 18. O risco nestas situações seria de não entrares em nenhuma das opções a que concorreste e ficares apenas com a opção de concorreres à 2ª e 3ª fases, em que as vagas são muito menores, pois na 2ª fase apenas poderás concorrer às vagas que sobraram da 1ª fase e, consecutivamente, na 3ª apenas poderás concorrer às vagas que sobram da 2ª fase.

O melhor lugar para procurar toda a informação relativa aos cursos e instituições disponíveis é a DGES – Direção Geral de Ensino Superior, onde podes pesquisar a informação da seguinte forma:

  • Pela área a que desejas concorrer, onde podes ver os cursos que existem em cada área (área/curso);
  • Pelo curso a que queres concorrer e aí podes encontrar as várias instituições em que são lecionados esses mesmos cursos (curso/instituição);
  • Pelo distrito, onde será possível descobrir que instituições existem a lecionar cursos de ensino superior no distrito da pesquisa (distrito/instituições);
  • Podes procurar pela instituição, que te permite ver os cursos que existem em cada uma delas (instituição/curso).

Candidatura online

A forma mais prática de realizar a candidatura ao ensino superior é fazê-la online, no site da DGES.

Os documentos que necessários para fazer a candidatura são:

  • Senha para entrar no sistema de candidatura online, esta mesma senha é apenas válida para que possas concorrer no ano em que te é atribuída e ser-te-á fornecida na escola secundária que frequentas.
  • Ficha ENES do ano em que te pretendes candidatar, que te deverá ser fornecida na escola secundária em que realizaste os exames secundários.
  • Ficha de pré-requisitos se algum dos pares curso/instituição que escolheste exigir um dos pré-requisitos seguintes: C, G, I, K, M, P, R, V, Y e Z.

Situações Especiais

Todos os documentos adicionais que sejam precisos têm que ser entregues no Gabinete de Acesso ao Ensino Superior. Podes encontrar a morada dos vários gabinetes espalhados pelo país em: http://www.dges.mctes.pt/DGES/pt/Estudantes/Acesso/ConcursoNacionalPublico/GAES/ .

Estes documentos especiais são geralmente requeridos quando o candidato está numa das seguintes condições:

  • Contingentes especiais: deverão entregar os comprovativos que lhe permitem usufruir desta candidatura especial, com exceção dos alunos dos Açores e da Madeira, pois a Ficha ENES já comprova o contingente. Os contingentes especiais abrangem:
    • Açores
    • Madeira
    • Emigrantes Portugueses
    • Portadores de deficiência
    • Militares em regime de contrato
  • Preferência regional: a comprovação do direito de usufruir da preferência regional já é feita pela Ficha ENES, não sendo necessário a entrega de mais nenhum documento adicional. O curso/instituição com preferência regional e as áreas de preferência regional estão na página de cada par curso/instituição na DGES.
  • Preferência habitacional: a comprovação do direito de usufruir da preferência habitacional já é feita pela Ficha ENES, não sendo necessário a entrega de mais nenhum documento adicional.
  • Substituição das provas de ingresso por exames estrangeiros: é necessário entregar um documento que prove a equivalência do ensino secundário estrangeiro com o ensino secundário português. Este documento deve comprovar a conclusão do ensino secundário no estrangeiro e é necessário entregar um documento/certificado com as notas desses exames estrangeiros e um requerimento para pedir a substituição das provas de ingresso. Este requerimento deve estar devidamente preenchido e podes encontrá-lo no link:http://www.dges.mctes.pt/NR/rdonlyres/EAF55083-AF75-459B-99CF-E756A4EB0880/5501/Art20A_requerimento1.pdf

Quantas candidaturas podem ser feitas

Quando te candidatas ao ensino superior deves saber que apenas terás 3 hipóteses de concorrer, na 1ª fase, na 2ª fase e na 3ª fase e que a cada uma delas só é possível concorrer uma vez.

É também de extrema importância que saibas que na 2ª fase apenas estão disponíveis as vagas que sobraram da 1ª fase e que na 3ª fase, apenas poderás concorrer às vagas que sobraram das 2 fases anteriores, da 1ª e da 2ª fase.

Assim, torna-se primordial que os pares curso/instituição sejam ponderados e muito bem escolhidos, avaliando fatores como:

  • Médias dos cursos/instituição dos colocados nos anos anteriores;
  • A tua média;
  • Se todas as tuas escolhas são viáveis para ti em termos de deslocação e pagamento de propinas;
  • Se todas elas vão de encontro aos teus gostos, ou seja, que nenhuma delas seja posta ao acaso apenas porque já não sabes o que colocar nas últimas opções. Ficar colocado numa das últimas escolhas é uma possibilidade e, com certeza, não vais querer ficar limitado a uma opção que não gostas ou a novas candidaturas (2ª e 3ª fases) com muito menos vagas do que a fase de candidatura inicial.

Guia para efetuar a candidatura online

A candidatura online é completamente segura e ainda identifica alguns dos dados que possam estar em falta, o que te vai ajudar no preenchimento correto de todos os dados.

Sendo que (Porém,) isto não invalida que a candidatura deva ser feita com o máximo de atenção e verificação de todos os dados introduzidos e mais do que uma vez, principalmente os dos cursos/instituição, pois são estes que definem as tuas escolhas. Este modo de candidatura apenas identifica se deixaste algum campo por preencher, não identifica erros nos dados que sejam submetidos.

Assim, antes de realizar a candidatura, qualquer estudante pode consultar um simulador de candidatura online no site da DGES através do link: https://www.dges.mec.pt/online-simula/Default.aspx.

Comentar o artigo

O nosso conteúdo é gratuito!

Disponibilizamos o nosso conteúdo gratuitamente, considere desativar o seu adblocker.

Refresh